corona crise

Selecione a página

A periferia não tem cloriquina

Por Rubinho Giaquinto

Hoje os principais jornais estampavam em suas manchetes que a Covid-19 tem maior concentração nos bairros mais pobres.

O motivo seria que as pessoas precisam trabalhar durante a pandemia para tentar sobreviver perante ao caos que a crise sanitária trouxe junto.

O estudo liderado por Rolnik e realizado em parceria com o Instituto Pólis correlacionou informações do Data-SUS sobre áreas com concentração de moradores hospitalizados por Covid-19 com dados públicos do SPTrans com o carregamento dos ônibus no mesmo período.

O estudo detectou que os ônibus tinham itinerário da periferia para o centro da capital paulista.

Isso mostra claramente o descaso com a população mais pobre e trabalhadora.

População que não teve a oportunidade digna de fazer quarentena.

O governo genocida e mentiroso do Bolsonaro parece um disco estragado que só toca uma nota fora do tom e não tem política concreta para proteger o povo brasileiro trabalhador.

Infelizmente, o esperado é que a doença se espalhe e cresça entre o povo mais pobre do Brasil.

Apoiase

Apoie nosso projeto

Acreditamos muito na colaboração como forma de mudança da sociedade. Ajude doando alguns reais por mês, qualquer valor já ajuda e demonstra que você acredita na ideia!

Contribuir agora

Unidade entrevista: Daniela Arbex

CUFA e DATAFAVELA

Como o coronavírus está afetando a vida nas favelas
Relatório para Abril de 2020

Relatório CEPAL

Vídeos recentes

Carregando...

DOSSIÊ: ONDE ESTÁ A ESQUERDA NESTA CRISE?

Atravessar a quarentena

Atravessar a quarentena II